(Source: moan-s)

“Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.”
Caio Fernando Abreu. (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

(Source: klimtsiria)

“Eu queria saber ter batido a porta na sua cara antes de você começar a falar. Em toda idas e vindas, eu queria ter te interrompido na primeira frase, mandado você embora na primeira briga e terminado logo com esse nosso drama. Porque me cansa, e você não imagina o quanto, ter que te aceitar toda vez que você volta porque eu te amo. Amar, nesse caso, não deveria ser justificativa. E eu escuto aqueles discursos de mulheres-unidas-contra-os-homens que as minhas amigas fazem na mesa do bar na sexta-feira à noite e acho lindo, acompanho o brinde delas e até chego a acreditar que posso ter essa força toda, mas isso não sou eu: te negar não é para mim. Queria ter passado por você no supermercado com outro ao meu lado segurando forte a minha mão ao invés de passar com aquela minha cara de quem quer logo perguntar se está fazendo compras para um jantar a dois. Queria ter a força de te expulsar daqui, mas vivo sem direção quando o seu cheiro começa a sumir dos meus lençóis, e isso é ridículo, isso é piegas, e eu odeio a forma como você deixa o meu mundo piegas quando volta e mais piegas ainda quando vai embora. Por mais que eu precise ser forte, você é o meu ponto fraco. Bate logo na porta de novo. A gente vai se machucar de qualquer jeito, então pelo menos que seja assim: juntos na mesma dor.”
Camila Costa. - trechos de nós. (via aluguefelicidade)

(Source: camilacosta)

itslatingirl:

instagram